23/03/2017 - Atualizado em 23/03/2017 as 22h21

ESPORTE

A seleção brasileira de Tite não para e já consegue enxergar a Rússia mais de perto.

 

Danilo Lavieri

Do UOL, em Montevidéu (Uruguai)

 

A seleção brasileira de Tite não para e já consegue enxergar a Rússia mais de perto.

Contra uma atmosfera de grande apoio ao Uruguai, o Brasil ignorou tudo para golear no Estádio Centenário por 4 a 1, nesta quinta-feira, em Montevidéu. De virada, após vacilo de Marcelo, os brasileiros jogaram com autoridade e venceram em três gols de Paulinho e um terceiro, uma pintura, anotado por Neymar. Cavani havia aberto o marcador.

A sétima vitória com Tite em sete jogos pelas Eliminatórias representou a quebra da invencibilidade do Uruguai como mandante na competição e uma marca inédita para o Brasil: jamais, em toda sua história, havia somado sete triunfos seguidos na qualificatória da Copa do Mundo. O máximo, em 1969, tinha ocorrido sob o comando de João Saldanha. 

Vitória no Uruguai classifica Brasil para a Copa. Nas contas do Tite...

 

Natacha Pisarenko/AP

 

Com os três pontos somados, o Brasil chegou a 30 pontos e abriu larga vantagem na liderança. Para Tite, baseado no histórico das Eliminatórias com 10 seleções, essa pontuação assegura a classificação brasileira para o Mundial da Rússia, em 2018. Porém, com cinco rodadas a serem jogadas e, portanto, 15 pontos em disputa, ainda não dá para cravar a vaga.

O melhor: Paulinho

O volante do Guangzhou Evergrande justificou novamente sua presença na equipe. Autor de gol contra a Argentina, foi o mais decisivo no Centenário. Um chute de rara felicidade, no ângulo da meta defendida por Silva, tirou o Brasil do sufuco. Outro, a seu estilo, no rebote na grande área, decretou a virada. E mais um, no final, de peito, fechou o caixão uruguaio. 

O pior: Marcelo

 

Natacha Pisarenko/AP

 

Um dos destaques da era Tite, o lateral teve jornada infeliz. Com excesso de autoconfiança, errou um recuo de peito para Alisson, que cometeu pênalti em Cavani. Na etapa final, o lateral ainda errou posicionamento defensivo e acabou amarelo por falta no contragolpe uruguaio.

Neymar quebra tabu e faz um golaço para fechar a vitória brasileira

 

Natacha Pisarenko/AP

 

Quando o Uruguai, com desvantagem de 2 a 1, deixou espaços, o Brasil deu o golpe fatal em grande estilo. Depois de um chutão de Miranda, Neymar ganhou de Coates na velocidade e tocou por cobertura sobre Martín Silva. Foi o gol 51 com a camisa brasileira e o primeiro da vida dele contra o Uruguai como adulto. 

Seleção cala uruguaios, ouve "olé" e "campeão voltou"

O apoio da torcida da casa era incondicional, com o Centenário repleto, mas murchou depois do empate com Paulinho. Na medida em que a equipe brasileira construiu a goleada, então, tudo mudou. Os brasileiros presentes a Montevidéu puxaram 'olé' e 'campeão voltou' na reta final do clássico sul-americano. 

Time de Tite mostra tranquilidade em seu momento mais adverso

 

Natacha Pisarenko/AP

 

O Brasil ainda não havia saído atrás do marcador sob o comando do novo técnico, o que ocorreu em vacilo grande de Marcelo quando a equipe construía oportunidades. E, sem problemas, assim seguiu depois de Cavani abrir o placar. Com a frieza que o treinador sempre pede nos jogos desse tamanho, igualou e virou com Paulinho. Um detalhe: Tite havia pedido muito aos jogadores para arriscarem de longe.

Tabarez muda Uruguai durante o jogo, mas não consegue parar o Brasil

Com duas linhas de quatro e dois atacantes à frente, Óscar Tabárez percebeu que o Brasil criava muito às costas de seus volantes e mudou o posicionamento. Rolán saiu do ataque e foi jogar pelo lado direito, Sánchez virou meio-campista e Arévalo Rios foi recuado, para um 4-1-4-1. Não resolveu muito, pois a equipe de Tite viveu mais um dia daqueles e criou oportunidades em excesso. O treinador segue sem vencer o Brasil em mais de 10 anos. 

Paulinho volta a ser o carrasco uruguaio

 

AFP PHOTO / CHRISTOPHE SIMON

 

Os uruguaios voltam a ser batidos pelo oportunismo do volante brasileiro. Na Copa das Confederações, em 2013, ele havia marcado o gol da classificação brasileira na semifinal do torneio. Dessa vez, marcou três gols contra uma seleção que, em seis partidas como mandante nas Eliminatórias, tinha somente um gol sofrido. 

Firmino perde gol incrível, mas contribui na vitória brasileira

 

Matilde Campodonico/AP

 

O Brasil quase abriu o placar no Centenário, mas Roberto Firmino, substituto de Gabriel Jesus, deixou passar uma bola incrível na pequena área em passe de Coutinho. Apagado no primeiro tempo, o atacante do Liverpool voltou aceso do intervalo e participou bem dos ataques brasileiros e foi decisivo no segundo gol. 

Dani Alves suspenso. Fagner deve estrear nas Eliminatórias

Uma falta por trás em Gastón Silva no segundo tempo retirou o lateral direito brasileiro do jogo em São Paulo, contra o Paraguai. Com isso, Fagner terá sua grande prova de fogo na Arena Corinthians, onde já está mais que habituado a atuar. Recentemente, Tite esteve na Espanha para analisar Mariano, do Sevilla, como possível convocado. Para terça-feira, porém, poderá chamar um atleta do futebol nacional. 

FICHA TÉCNICA
 
URUGUAI 1 x 4 BRASIL
 
Data: 23 de março de 2017, quinta-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Local: Estádio Centenário, em Montevidéu 
Árbitro: Patrício Loustau (Argentina)
Auxiliares: Gustavo Rossi e Diego Bonfa
Cartões amarelos: Maxi Pereira, Coates, Godín, Casemiro, Marcelo, Dani Alves
 
Gols: Cavani, aos 9min, Paulinho, aos 18min do primeiro tempo, e Paulinho, aos 7min, Neymar, aos 29min, e Paulinho, aos 47min do segundo tempo
 
URUGUAI: Martín Silva; Maxi Pereira, Coates, Godín e Gastón Silva; Carlos Sánchez (Abel Hernández), Vecino, Arévalo Rios e Cristian Rodríguez; Rolan (Stuani) e Cavani. Treinador: Óscar Tabárez
 
BRASIL: Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Coutinho (Willian), Paulinho, Renato Augusto (Fernandinho) e Neymar; Roberto Firmino (Diego Souza). Treinador: Tite. 



Deixe seu comentário: